Certificação Linux – Linux Professional Institute

Hoje, além de falar sobre um assunto que eu gosto muito, o Linux, também vamos falar um pouco sobre certificações, assunto que já foi abordado em alguns vídeos. Porém dessa vez vai ser diferente. Primeiro por que depois de muito tempo volto a escrever um artigo ao invés de gravar um vídeo e em segundo lugar, dessa vez não vou contar sobre algo que fiz, e sim, que estou fazendo. O assunto certificações em Linux é bem extenso e um tanto quanto complexo, por isso separaremos em algumas partes. Começaremos falando sobre os exames do LPI ou Linux Professional Institute.

 

Clique aqui para conhecer nosso curso PFSense + Zabbix Avançado

 

Muita gente sabe que nas certificações Linux existe um certo “combo”. Uma forma de fazer apenas uma prova e tirar duas certificações, a da LPI e a Linux+ da CompTIA. Porém lá vai nossa primeira notícia, talvez não tão boa. Isso não será mais possível. A CompTIA aproveitava a mesma prova com as mesmas questões da LPIC para realizar seu teste, sendo assim essa abordagem fazia sentido, porém a partir da versão nova da prova Linux+ lançada em abril de 2019, essa prática deixará de existir. Por isso abordaremos aqui somente a o prova da LPI. A Prova da Linux+ e as suas mudanças previstas serão abordadas em novo artigo.

 

O que é LPI?

 

O Linux Professional Institute é o primeiro órgão de certificação Linux do mundo. É um órgão neutro em relação a distribuições e fornecedores. Tem como compromisso ajudar os membros da comunidade Linux a melhorarem suas oportunidades de carreira desenvolvendo testes que permitem a esses comprovar suas habilidades e receber suas certificações.

Quais são as certificações disponibilizadas pela LPI?

 

Existem 4 certificações separadas por níveis.

 

Linux Essentials – Testa seus conhecimentos básicos em opensource. Seria uma certificação de iniciante, para quem está começando como usuário de sistemas Linux. Os tópicos da prova envolvem conhecimento básico sobre as principais distribuições, principais aplicações, noções sobre licenciamento, compreensão de como funciona um software livre, utilização básica de linhas de comando entre outros. Se você já tem alguma experiência utilizando Linux é provável que você já esteja naturalmente preparado para essa certificação. Eu mesmo fiz um simulado na internet e acertei todas as questões.

 

LPIC-1 Administrador Linux – Testa conhecimentos em instalação e configuração de computadores que utilizam Linux e algumas configurações básicas de rede. O candidato deverá estar apto a realizar a instalação, particionamento de discos e configurações básicas de máquinas rodando Linux. Também é necessário ter o conhecimento para executar tarefas de manutenção via linha de comando, compreender a estrutura de arquivos e diretórios, conhecer sobre permissões de acesso, gerenciar contas de usuários, ter noções de fluxo de dados e conhecer as principais aplicações do sistema. É desejável que o candidato tenha conhecimentos básicos em Shell. Nesse nível já é recomendado que o candidato não confie apenas em seu conhecimento prévio, mas que busque por material e estude bastante. A certificação é dívida em duas provas que abordam dois tópicos principais, a prova 101/103 que aborda a arquitetura do sistema, instalação e gerenciamento de pacotes, aplicações GNU e comandos Unix. Já o exame 102/104 aborda shell, scripting, gerenciamento de dados, interfaces desktop, tarefas administrativas, serviços essenciais, fundamentos de rede e segurança

 

Clique aqui para conhecer o curso do exame 101 da Escola Linux e aqui para conhecer o curso para o exame 102

 

LPIC-2 Engenheiro Linux – Testa se o candidato é capaz de administrar redes mistas de pequeno e médio porte. Para tirar essa certificação é necessário antes ter uma certificação LPIC-1 ativa, porém os exames podem ser feito em qualquer ordem. É esperado que quem tenha essa certificação seja capaz de executar uma administração avançada do sistema incluindo tarefas relacionadas ao kernel, gerenciamento avançado de armazenamento e sistemas de arquivos, noções avançadas de rede e segurança, incluindo firewall e VPN. O candidato também deverá ser capaz de instalar e configurar serviços de rede fundamentais, servidores web, servidores de arquivos e email. A certificação também é divida em dois exames que abordam tópicos específicos. No exame 201 o candidato responderá questões sobre planejamento de capacidade, kernel Linux, inicialização do sistema, sistemas de arquivos e dispositivos, administração avançada de dispositivos de armazenamento, configurações de rede e sistemas de manutenção. Já no exame 202 o candidato precisará ter conhecimentos sobre DNS, serviços web, compartilhamento de arquivos, gerenciamento de clientes de rede, serviços de e-mail e segurança do sistema.

 

Clique aqui para conhecer o curso do exame 201 da Escola Linux e aqui para conhecer o curso para o exame 202. 

 

LPIC-3 Linux Enterprise Professional – Esse nível é dividido em 3 certificações distintas e ao contrários das outras não é necessário que se faça os 3 exames para receber a certificação. Cada exame prestado da direito a uma certificação específica no nível LPIC-3. No exame LPIC-3 300, chamada de Ambiente Misto (Mixed Environment) o candidato deverá estar apto a realizar configurações OpenLDAP, usar OpenLDAP como back-end de autenticação, conhecer princípios do Samba e configurações de Samba Share, gerenciar usuários e grupos do Samba, integração de Domínios Samba, serviço de nomes do Samba e trabalhar com clientes Linux e Windows. Prestando essa prova o candidato já receberá uma certificação LPIC-3 específica desse assunto. Já o exame LPIC-3 303 é denominado Segurança (Security) e espera-se do candidato que tenha conhecimentos sobre criptografia, controle de acesso, segurança de aplicativos, segurança de operações e de redes. Caso opte por esse exame o candidato que passar também receberá uma certificação independente referente a esse assunto. O Exame LPIC-3 304 é chamado de virtualização e alta disponibilidade (Virtualization and High Availability). Para que o candidato seja aprovado nesse exame é necessário que tenha conhecimentos em virtualização, gerenciamento de cluster de alta disponibilidades e alta disponibilidade de armazenamento. Ao passar nessa prova o candidato também receberá uma certificação independente referente apenas a esse assunto. Para se certificar em qualquer um dos 3 exames é necessário que o candidato tenha uma certificação LPIC-2 ativa.

 

Para conhecer o curso LPIC-3 304 da Escola Linux, clique aqui.

 

Todas as certificações tem validade de 5 anos.

 

 

Como me preparar?

 

Essa é a grande questão. Como devo me preparar? Como posso saber que eu tenho o que é preciso para ser um profissional certificado em Linux. Além das dicas subliminares que já dei nas entre linhas, uma boa forma de começar é visitando o site oficial da LPI clicando aqui. Lá você encontrará algumas informações mais detalhadas sobre cada tópico abordado em cada exame além de indicações sobre material para quem quer estudar sozinho e indicações de parceiros para quem quer fazer um curso online ou presencial. Existem ainda alguns outros sites com orientações e cursos como o da Escola Linux, o 4Linux, o LPI Brasil e o Certificação Linux do professor Uirá Ribeiro.

 

 

Clique aqui para conhecer nosso curso PFSense + Zabbix Avançado

 

 

Pra quem não conhece eu também indico o Cybrary, site com vários cursos online gratuitos de diversos assuntos. Nele além de se preparar para certificações você também pode tirar uma espécie de mini certificado. Esses mini certificados são dados aos alunos através de uma prova online e atestam que os alunos tem determinadas habilidades específicas como, por exemplo, trabalhar com subredes. Tudo gratuito e online, porém tudo em inglês. Para quem acha que isso é um impedimento, pense bem e comece a aprender o inglês, pois existe muito material de qualidade e eu sempre recomendo para quem me procura que pesquise assuntos em português e inglês sempre que possível. Mas não se desespere, numa emergência a gente vai de google tradutor mesmo.

 

Como posso testar meus conhecimentos?

 

Nesses mesmo sites e, geralmente, quando você compra um curso online existem testes e simulados que permitem que você teste seus conhecimentos. Pesquisando rapidamente na internet também é possível achar alguns simulados que servem bem como base. Porém a parte mais importante é a segurança. Tenha confiança nos seus conhecimentos e saiba que você é sim capaz e tudo ficará bem.

 

Como prestar o exame?

 

Para prestar o exame é necessário acessar o site da Pearson VUE, realizar seu cadastro e comprar um voucher. Nesse mesmo site você verá um link para achar um test center, que é o local onde você terá de ir para fazer o exame. Aqui no estado de São Paulo, além de algumas escolas especializadas, você também pode fazer o exame em algumas sedes do SENAC. Nessa modalidade as provas são eletrônicas e podem ser realizadas conforme agendamento em qualquer data disponível no local escolhido. Também existe a modalidade onde são aplicadas provas em papel, como num vestibular. Essa modalidade geralmente é praticada em encontros e eventos de software livre que concentram uma grande quantidade de pessoas interessadas em se certificar.

 

A prova tradicionalmente é de múltipla escolha com questões contendo apenas uma resposta correta e outras questões onde você deve indicar mais de uma alternativa correta, também existem questões dissertativas. Nas novas versões está previsto que esse modelo seja incrementado e o candidato realize tarefas diretamente num terminal Linux específico para o teste, porém essa informação ainda não está no descritivo oficial do exame. Para ser aprovado o candidato deve atingir uma quantidade mínima de 500 pontos, porém as questões podem ter pesos variados, o que dificulta saber quantas questões mínimas deverão ser acertadas. O limite de tempo para realizar o exame é de 90 minutos.

 

O que o certificado poderá fazer pela minha carreira profissional?

 

Basicamente além do conhecimento que você terá de agregar para ser aprovado em um exame você também ganhará uma recompensa financeira por seus esforços. Estudos mostram que no estado de São Paulo, um profissional certificado em Linux com cargo júnior numa empresa de pequeno porte ganha em média um salário de R$ 3.943,94. Nada mal para quem está começando, sem responsabilidades grandes e sem um cargo de chefia. Conforme avança na carreira esse salario pode chegar a mais de R$ 13.000,00 e melhor que isso, estudos comprovam que 75% dos profissionais que se certificam ganham aumento logo após ser aprovado no exame.

 

Portanto, eu não sei quanto a vocês, mas eu acredito muito que a certificação pode ser uma grande chance de melhorarmos nossas condições de trabalho e remuneração. Ainda que você seja um prestador de serviço ou profissional autônomo conseguirá agregar muito valor às suas entregas. Eu estou estudando pra isso e pretendo compartilhar com vocês toda minha experiência no assunto. Vamos juntos nessa jornada.

 

Mais importante que tudo isso, não pense que você não é capaz, de uma forma ou de outra eu sei que você consegue, basta se esforçar e correr atrás. Você será muito bem recompensado pelo seu esforço. Se precisar de ajuda ou de algum conselho, por favor entre em contato comigo. Acesse meu canal no youtube ou curta nossa página no facebook.

 

E não se esqueçam, se quiser se especializar em PFSense e Zabbix não deixe de conhecer nosso curso.